A primeira edição da Balada Literária, no ano de 2006, teve como homenageado o poeta paulistano Glauco Mattoso, que veio a participar de outras edições. Também ficcionista, articulista, ensaísta, tradutor e letrista, seu nome é inspirado no glaucoma que tem desde a infância e que o deixou cego nos anos 1990. Tornou-se o maior sonetista do mundo, com mais de cinco mil sonetos escritos.

Convidades
A ideia da Balada Literária surgiu em julho daquele ano e aconteceu já no mês de outubro, entre os dias 19 e 22, ocupando a Livraria da Vila e alguns bares como a Mercearia São Pedro. Marcelino Freire, com co-curadoria de Maria Alzira Brum Lemos, mobilizou amigos como José Miguel Wisnik e Chico César, que generosamente participaram da primeira edição. Além das participações de Cadão Volpato, Ivana Arruda Leite (presença constante), Sérgio Sant’Anna, Claudiney Ferreira (parceiro em todas as edições) e Xico Sá, e das presenças internacionais da poeta argentina Juana Bignozzi e do escritor colombiano Efraim Medina Reyes.