Sala Paulo Freire de maio teve aula sobre Literatura de Cordel com Antonio Marinho

Sala Paulo Freire de maio teve aula sobre Literatura de Cordel com Antonio Marinho

O músico e poeta Antonio Marinho participou da Sala Paulo Freire de maio e apresentou uma aula sobre a Literatura de Cordel, na Balada Literária Mês a Mês. A Sala Paulo Freire foi acompanhada pela tradutora de Libras, Érika Mota. Clique abaixo para assistir:

PARTE 1

PARTE 2

ANTONIO MARINHO

Antonio Marinho, 33 anos, nasceu em 15 de julho de 1987 em São José do Egito, Sertão do Pajeú, Pernambuco. Esta cidade e sua região são conhecidas no Brasil e fora dele pelo imenso número de poetas que lá nasceram e que desde o século XIX acompanham suas histórias. A Terra da Poesia. É este o título que orna São José do Egito no imaginário da Cultura Popular e da Poesia Oral do Brasil. Sua família tem a história intimamente ligada a esta arte nata de seu povo. É bisneto e homônimo de Antonio Marinho, primeiro repentista a dar nome à cidade, neto de Lourival Batista, o Louro do Pajeú, um dos nomes mais respeitados da cantoria de viola brasileira e filho de Zeto e Bia Marinho, poetas, cantores e músicos de expressão no cancioneiro nordestino.

Assim sendo, desde cedo entrou em contato com a arte. Aos três anos, num show dos pais, fez seu primeiro recital, aos seis fez seu primeiro poema e aos dezesseis lançou um livro de poesias, Nascimento. Em 2005 deu início a um recital intitulado Em Canto e Poesia, que hoje é um grupo poético-musical formado por ele e seus irmãos, Greg e Miguel Marinho, já com um CD, Em Canto e Poesia (2014), e um DVD, Canção do Tempo (2017), lançados e um segundo CD em gravação.

Já passou, como músico, poeta e/ou palestrante por importantes Palcos da Cena Cultural Pernambucana e Brasileira, como o Carnaval de Recife e Olinda em várias edições, incluindo 2020, o Festival de Inverno de Garanhuns (2007, 2008, 2009, 2012, 2014), o Abril pro Rock (2016), a Fliporto (2010), FLIP-RJ (2013), Jornada Literária do SESC Pernambuco (2012, 2013, 2014, 2015, 2016), A Farra Poética do SESC Nacional (2018), O São João do Recife e de Caruaru em várias edições, incluindo 2018 e 2019, o Festival Recifense de Literatura (2017 e 2018), entre outros. Em 2015 participou do Pernambouc Quartet, projeto especial que fez duas turnês (2015 e 2017) na França e recebeu o occora, um importante prêmio musical Europeu. Tem também passagens pelo cinema e pela televisão, como entrevistado em programas e documentários sobre cultura popular, como produtor e como ator. Além de vocalista do grupo, poeta, declamador, pesquisador, compositor e produtor cultural, é presidente do Instituto Lourival Batista, entidade destinada à salvaguarda da obra do seu avô e à realização de ações culturais na cidade de São José do Egito.

SALA PAULO FREIRE

Sala Paulo Freire foi criada em janeiro, de modo a fornecer temas atuais e relevantes na construção de uma identidade social nacional, permanecendo como um registro para formação individual e pesquisas acadêmicas ou artísticas. A aula é transmitida no canal do Youtube oficial da Balada Literária, dentro da programação mensal do evento.

BALADA LITERÁRIA MÊS A MÊS

A Balada Literária ganha novo formato, com conteúdos mensais on-line, que vão se somar à já consagrada edição do festival, que acontecerá em novembro. Na Balada Literária Mês a Mês estão programadas aulas especiais, shows inéditos, conversas ao vivo e oficinas literárias.

Foto: Mari Pinheiro

Deixe uma resposta