Nova turma para oficina literária com Marcelino Freire

Nova turma para oficina literária com Marcelino Freire

Em agosto começarão os encontros da nova turma com Marcelino Freire, em sua oficina de escrita na Balada Literária Mês Mês.

CLIQUE AQUI E SE INSCREVA

Marcelino Freire costuma dizer que a sua oficina de criação é “feita por pessoas” e são elas que fazem o curso acontecer. É a partir das questões apresentadas em sala (agora virtual) que Freire trabalhará o repertório, a linguagem, o projeto literário de cada participante, não importando o gênero literário. Haverá dicas de leituras, encontros com convidados especiais e uma ampla discussão de todas as frentes de batalha de um livro, desde sua escrita até sua publicação.

Os encontros são semanais, todas segundas-feiras. O curso é aberto a qualquer gênero literário e acontecerá em ambiente on-line. Veja mais detalhes abaixo:

OFICINA NA BALADA
COM MARCELINO FREIRE
:

Turma de segunda-feira
Quando: de 2 de agosto até 8 de novembro (15 encontros)
Horário: das 19h30 às 22h30, via Zoom (o link da sala será enviado por e-mail horas antes de começar a oficina)

Mais informações: [email protected]

MARCELINO FREIRE

É escritor. Nasceu em 1967, em Sertânia, Pernambuco. Viveu no Recife e desde 1991 reside em São Paulo. É autor, entre outros, dos livros “Angu de Sangue” (Ateliê Editorial) e “Contos Negreiros” (Editora Record – Prêmio Jabuti 2006). Em 2004, idealizou e organizou a antologia de microcontos “Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século” (Ateliê). Alguns de seus contos foram adaptados para teatro. Participou de várias antologias no Brasil e no exterior. “Contos Negreiros” foi publicado em 2013 na Argentina, pela Editora Santiago Arcos e com tradução de Lucía Tennina, e no México, pela Librosampleados, com tradução de Armando Escobar. Criou a Balada Literária, evento que acontece em São Paulo desde 2006, com edições em Teresina (desde 2017) e Salvador (desde 2015). No final de 2013, publicou seu primeiro romance, intitulado “Nossos Ossos” (Record – Vencedor do Prêmio Machado de Assis), publicado também na Argentina, pela editora Adriana Hidalgo, na França pela editora Anacaona, e em Portugal pela editora Nova Dheli. Em 2018, lançou pela José Olympio o livro “Bagageiro”, que reúne o que ele chama de “ensaios de ficção”.

Deixe uma resposta